Palavra-chave “não definida”

E o que isso significa para o seu tráfego

Se já viu ou ouviu falar nos relatórios do Google Analytics, e se já acedeu a uma conta do seu blog ou website e teve a oportunidade de ver as estatísticas e os relatórios padrão dos visitantes ao seu website, talvez já se tenha deparado com o termo “Not Provided”, ou em Português, “Não Definido”, no topo das palavras-chave que mais geram tráfego e número de cliques e visitantes para o seu website.

O Google Analytics, a ferramenta preferida de qualquer profissional a trabalhar na área do internet marketing, dá-nos informação valiosa, é uma plataforma gratuita, mas está-se a tornar cada vez mais frustrante para as empresas usarem e extraírem dados dela.

Antigamente o Google Analytics permitia aos webmasters verem todos os termos de pesquisa que os utilizadores usaram para encontrar o seu website. Esta caraterística permitia à pessoa a analisar as estatísticas de usar esses dados de palavras e melhorar a experiência do utilizador: era possível criar um segmento personalizado de qualquer tipo de palavras que os seus visitantes estivessem a usar, descobrir se eles gostaram do conteúdo fornecido no website, que ações tomaram e em que páginas abandonaram o website. Isto era informação super-útil.

No entanto, desde Outubro de 2011, o Google decidiu encriptar todos os cliques externos nos resultados de pesquisa para os utilizadores que têm o login feito em qualquer um dos websites do Google (ou seja, qualquer utilizador que tenha entrado no Gmail, Google Plus, Google Maps, Youtube, ou outros), e fazê-lo de forma a que destrói o dado de referência na qual este relatório da palavra se baseia.

Que implicações é que isto teve? Bem, isto ditou, que de repente, os webmasters começaram a ver “(not provided)”, ou em Português, “(não definido)”, nos relatórios do Analytics.

keyword not provided google analytics

Palavra chave “(not provided)”

Quando as mudanças encriptadas primeiro tomaram lugar, as pessoas e profissionais na comunidade [tooltip title=”SEO”]SEO quer dizer Search Engine Optimization, ou em Português, Otimização dos Motores de Busca, um método de marketing online que visa melhorar o posicionamento orgânico (sem anúncios) do website nos motores de busca[/tooltip], incluindo nós, meteram as mãos à cabeça, a pensar que isto iria tornar o trabalho deles muito mais difícil. E eles tinham razão. Esta mudança torna mais difícil saber otimizar o tráfego do seu website, analisar o comportamento do utilizador e fazer mudanças baseadas nesses dados.

O Google respondeu a isto ao dizer aos webmasters para não se preocuparem muito com isto porque a mudança iria apenas afetar uma pequena parte das buscas feitos pelos utilizadores no Google. O Google também disse que os dados de referência seriam preservados para clientes Adwords, ou seja, se quer mesmo ver os dados das palavras-chave, compra anúncios e gasta dinheiro no Google.

Isto poderá ser um pouco a nossa opinião pessoal, como agência digital, mas de cada vez que alguma regra é introduzida por uma entidade corporativa como a Google e eles nos dizem que isso irá afetar uma pequena minoria da população, nós temos tendência a não acreditar. Justamente porque a mudança foi geral, e não apenas para uma pequena parte das buscas como o Google afirma.

Independentemente daquilo que o Google afirme, os webmasters ficam à mesma numa posição de desvantagem por toda a vez que forem investigar o relatório de estatística verem “(not provided)” como uma cada vez maior percentagem de tráfego indeterminado. Basta dar uma olhada no próprio tráfego que recebemos na nossa agência. Mais de 200 visitas vêm de tráfego, ou seja, visitantes, provenientes de palavras-chave não definidas. Não há prova mais direta do que esta.

Palavra chave não definida conta com +200 visitas

Aumento de palavras “not provided” a partir de Outubro 2012

Este gráfico mostra apenas a quantidade palavras “(not provided)” dos resultados orgânicos. Como mostra o gráfico, antes de Outubro de 2011 não havia nenhumas buscas para palavras não definidas, mas a partir de Outubro de 2011, elas começam a aparecer, e desde aí têm sido em cada vez maior número, ao ponto de termos centenas de visitantes no nosso website (e milhares em sites de clientes), vindos de palavras que não estão definidas: que não podemos analisar e não podemos medir.

Então o que quer isto dizer para as empresas?

  1. O SEO está a tornar-se mais difícil de medir (propositado pela Google?)
  2. Google está a tornar-se mais restritivo com os dados que partilha
  3. A percentagem dos visitantes vindos de “(not provided)” tem tendência para aumentar
  4. Focarmo-nos em palavras específicas pode tornar impossivel no futuro e será necessário olhar para o panorama geral dos visitantes totais no website)
  5. Poderá ser necessário fazer publicidade exclusivamente no Google Adwords, se é que você já não o está a usar.

Solução?

Mas ainda há esperança. Existe uma forma de contornar este problema, se bem que duma forma limitada. Há a possibilidade de ver alguns dados no Google Webmaster Tools, mas a informação está muito agregada e apenas podemos ter 3 meses de dados de antiguidade, e não é possível ter atividade de cliques dos visitantes no nosso website, apenas visitas iniciais.

P.S.:

O website notprovidedcount.com faz a contagem dos “not provided” e a sua evolução ao longo do tempo.


Deixar uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

clear formPost comment