imagem com varias letras com internet e marketing

Internet Marketing em 2013

5 tendências para 2013

Êmfase em técnicas de Inbound Marketing

Inbound Marketing é um termo relativamente novo. Em Português teríamos que chamar isto de “Marketing de Entrada”, mas aqui na agência preferimos tratar esta nomenclatura como “Marketing de Permissão”.

2013 é o ano em que se vai ver um grande aumento e ênfase em criar, acompanhar e converter leads através de conteúdo estratégicamente bem colocado. Conteúdo no website, no blog, no facebook, etc. 2012 foi um pouco o ano que marcou o fim, pelo menos nos círculos de consultores, do marketing de interrupção. As empresas já não podem esperar de conquistar o público ao tentar interrompê-los durante o dia.

Em 2013 as marcas vão demarcar aquilo que já têm tentado fazer tímidamente durante 2012: fazer parte das conversações em blogs, nas redes sociais, em fóruns, etc. Já não chega comprar um pedacinho de espaço nas Páginas Amarelas e esperar que os seus clientes o encontrem. Agora, as empresas precisam de aprimorar a sua estratégia para fazer com que as suas marcas apareçam nos sítios onde os clientes estão à procura. Agora, as empresas têm de inteirar da situação onde se encontram por via de blogging estratégico, email marketing, white papers, atividade social, entre outros.

Design Responsivo torna-se a norma

É difícil de prever como é que um utilizador irá aceder ao seu website. Em vez de criar versões diferentes para PCs, tablets e telefones para o seu PC, em 2013 as marcas irão procurar criar uma experiência que agregue tudo num só: bem vindo ao design responsivo.

Design responsivo é um website que muda baseado no tamanho do aparelho usado para ver o website, tornando mais fácil navegar em aparelhos como tablets ou telefones. O website em si é adaptável e expansível e facilmente visto tanto em computadores de secretária, como tablets e telefones. Na nossa agência desenvolvemos esta funcionalidade nos websites que criamos para os nossos clientes.

Os layouts responsivos tornam a questão de desenvolver website para específicas resoluções completamente redundante. Com o design responsivo, as empresas poderão assim dar uma melhor experiência ao utilizador e até converter mais visitantes em compradores, justamente pelo facto de que aqueles que previamente teriam abandonado o website vindos dum aparelho móvel, estão agora ativamente a passar mais tempo no website.

Há algumas agências web que olham para o design responsivo como uma opção, mas ela tem de se tornar a norma. O próprio Google recomenda design responsivo como a melhor forma de otimizar um website para os aparelhos móveis. Se o seu website não está desenvolvido assente em tecnologia responsiva, então talvez esteja na altura de reconsiderar. Contacte-nos que nós ajudamos.

Importância dos Dados

Não são dados de lançar, são dados que visam melhorar as empresas.

As empresas que se mantém na frente têm desde há muito a monitorar e a investir na sua presença na web a nível de estatísticas, conversões, links patrocinados, redes sociais e outras iniciativas de marketing digital. No entanto, as pessoas que estavam responsáveis por estes cargos não tinham grande – ou nenhuma – comunicação entre si, seja por ocuparem cargos diferentes na empresa, seja por estes serviços serem prestados por agências diferentes. Assim, os dados não eram partilhados. Em vez diss, era tudo feito em casulos individuais para desvantagem do projeto e da empresa. Mas isto está lentamente, e felizmente, a mudar.

A malta no marketing, e mesmo os empresários, vão poder tirar vantagem dos dados e informação que estão a receber de cada canal e combinar esses dados para terem uma maior perceção. Isto irá resultar em campanhas mais eficientes, mais produtivas que irão integrar SEO (otimização dos motores de busca), PPC (Links Patrocinados), redes sociais, vídeo, blogging, etc, tudo numa única mensagem.

Se neste momento a sua marca ou empresa está a ter dados e informação de frentes diversas, por muito valiosa que sejam esses dados, será mais útil se conseguir combinar essas frentes numa única via de informação, para que mais facilmente possam todos trabalhar em harmonia.

Um aprofundar no conteúdo

O que é conteúdo? Conteúdo pode ser muita coisa, mas normalmente refere-se a artigos num blog.

Há anos que o “conteúdo é rei”, mas foi no ano de 2012 que as pessoas começaram mesmo a prestar atenção a isto no sentido de se aliar bem a uma estratégia de marketing permissivo. Com as atualizações “corda-bamba” do algoritmo dos motores de busca, que visam explicitamente recompensar conteúdo de alta qualidade (ao mesmo tempo que penalizando conteúdo de baixa qualidade), cada vez mais sites estão a querer tirar partido de bom conteúdo em 2013.

Isto vai ser bom tanto para os motores de busca, como para as empresas, como para os utilizadores, que recebem conteúdo de valor e que lhes é útil. Ao mesmo tempo, também significa que as empresas precisam de ter uma abordagem estratégia ao marketing de conteúdos. Quem começar agora e tiver uma boa estratégia vai poder colher bons frutos mais tarde porque os motores de busca irão posicioná-los bem nos motores de busca.

Uso inteligente das redes sociais

As redes sociais têm sido um dos grandes buzzs dos últimos anos. As empresas lançaram-se de cabeça, sem grande planeamento, em tudo o que era rede social, na esperança de tirar dividendos. Grandes orçamentos gastos em estratégias de facebook marketing, twitter e táticas no Pinterest. E enquanto que este comportamento por parte de algumas marcas não vai abrandar, o uso de métricos relevantes para a aplicação destas estratégias vai ser cada vez mais importante. Nunca investir sem medir.

Primeiro, desenvolver uma estratégia com cabeça, tronco e membros. Depois executá-la, e depois medi-la. Parece simples no conceito, mas dificilmente seguida na vida real.

As marcas precisarão de desenvolver métodos de planeamento e execução de certas tarefas para depois poderem tirar perceções mais elaboradas dos esforços que estão a fazer. Não chega ouvir as queixas dos consumidores e dos nossos clientes. Tem de haver um sistema de como mover as mensagem sociais de um departamento para o outro para que todos possam estar em sintonia em relação aos problemas. A tendência será para as marcas passarem de terem um único Gestor de Comunidade para uma agência ou ferramentas que lhes permitam gerir todo o processo.

Isto irá resultar numa presença nas redes sociais que será mais consistente, que tornará as redes sociais num sítio mais legítimo e mais apropriado para a comercialização do seu negócio. Quem estiver pronto para levar este jogo para o próximo nível vai com certeza colher os resultados.

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment