Em que redes sociais deve promover o seu negocio

Os prós e contras de anunciar nestas 4 redes sociais

Os tempos mudaram, e com eles vieram uma série de canais de marketing em que as marcas e empresas podem promover o seu negócio. Desde as redes sociais, ao Google Adwords, há várias formas de espevitar a sua promoção online.

Embora haja muitas e boas redes sociais, e algumas que estão a ganhar popularidade entre as camadas jovens (ex.: Snapchat), é preciso estar ciente de onde irá anunciar o seu negócio, porque cada rede social é única e tem as suas vantagens e desvantagens.

Este artigo dá um panorama geral dos prós e contras de fazer publicidade nas quatro maiores redes sociais, para ajudar a perceber se estas (se é que de todo) fazem sentido para o seu negócio.

ícone facebookFacebook

Incontornável. O Facebook é a maior rede social e normalmente a primeira em que as empresas pensam quando querem investir em publicidade nas redes sociais. A esmagadora maioria dos marketeers ou já investiu ou está para investir em anúncios nesta rede social.

? Prós dos anúncios Facebook

Com cerca de 1.5 biliões de utilizadores no mundo, o alcance do Facebook é muito vasto.

Mesmo que esteja apenas a apontar a sua promoção para um mercado mais local, haverá provavelmente uma grande percentagem de pessoas na sua área que estão mais no Facebook do que em qualquer outra rede social.

Com a capacidade de poder segmentar os seus anúncios com base no local, esta grande plataforma e audiência é uma grande vantagem para as pequenas empresas e negócios locais, especialmente aqueles que são B2C (business-to-consumer).

Os anúncios Facebook são relativamente acessíveis a nível de custo, quando comparado com anúncios noutras plataformas. Isto não significa que há uma garantia de maior ROI, mas significa que não perderá muito dinheiro numa campanha com fraco desempenho.

Outro benefício dos anúncios no Facebook é a sua segmentação avançada. O Facebook tem uma das maiores bases de dados de consumidor no planeta, e permite segmentar o alcance para pessoas muita específicas. Algumas categorias de segmentação disponíveis:

  • local
  • sexo
  • likes/interesses
  • emprego
  • estado (casado, solteiro)
  • educação

O Facebook permite ainda testes A/B nos seus anúncios, ao colocar vários anúncios a competirem uns contra os outros na mesma campanha. Isto torna fácil determinar o que está a funcionar bem, ou mal, nos seus anúncios, tais como o título, descrição ou imagem, que poderá mudar e testar para ver o seu desempenho.

? Contras dos anúncios Facebook

Há poucas ou nenhumas desvantagens em anunciar no Facebook, já que, quando comparado com outros meios de promoção noutras redes sociais, permite muito mais opções do que as outras.

No entanto, é preciso tomar nota que se não tiver a sua segmentação bem definida, a qualidade dos cliques nos anúncios Facebook irão variar bastante. Embora os anúncios possam ser bons para segmentar cliques e gerar tráfego para o seu site, duma perspetiva B2B, é mais eficaz a nível de custo para perceção da marca e top-of-mind.

ícone twitterTwitter

A nível mundial, o Twitter é a segunda maior rede social, com 320 milhões de utilizadores ativos mensais. Se bem que em Portugal o Twitter pode não ser muito usado pelas marcas e empresas (pelo menos por agora), este cenário irá mudar no futuro, já que cada vez mais utilizadores Portugueses usam esta rede social.

? Prós dos anúncios Twitter

O Twitter tem uma plataforma de publicidade que é um misto entre o Facebook e o Google Adwords. É semelhante ao Adwords pois permite segmentar com palavras-chave específicas, mas a diferença é que não está a segmentar as palavras de pesquisa, está a segmentar palavras-chave que os utilizadores Twitter têm nos seus tweets (e hashtags).

Isto até é bom, porque as hashtags são muito usadas pelos utilizadores. Cada indústria tem as suas próprias palavras e hashtags, o que dá boas oportunidades de segmentação para as empresas e marketeers.

Outra vantagem, pode segmentar seguidores com nomes de utilizador específicos, ou seja, chegar ao público-alvo dos concorrentes, empresas semelhantes, e líderes de opinião e experts na sua indústria.

Os anúncios Twitter são bastante “nativos”, ou seja, passam bem camuflados na rede social sem parecerem anúncios descarados, misturando-se bem com os tweets orgânicos. Embora tenham a etiqueta de “promovido”, eles passam relativamente despercebidos.

? Contras dos anúncios Twitter

Uma das maiores desvantagens dos anúncios Twitter é a sua segmentação limitada de dados demográficos. Segmentar e apontar anúncios com base em hasthags até pode funcionar bem, mas segmentar com base em interesses não é tão eficaz como é no Facebook, onde é normal “gostar” de páginas e marcas.

As possibilidades de segmentação do Twitter estão limitadas a:

  • Palavras-chave
  • Seguidores (de marcas, concorrentes, líderes de opinião, outros)
  • Interesses
  • Públicos personalizados
  • Segmentação de TV

ícone google+Google+

Pode não ser muito popular, mas o Google+ ainda tem cartas para dar, e pode ter valor no que toca a esforços de publicidade paga e para efeitos de otimização dos motores de busca (SEO).

? Prós dos +Post ads do Google+

O Google encara o Google+ como o seu bebé querido, o que significa que a atividade na sua página Google+ pode ajudar os seus esforços de SEO, apesar de não ser essa a razão principal para anunciar nesta rede.

Uma das grandes vantagens de usar a publicidade no Google+ é que os +Post Ads são adicionados à Display Network do Google, dando aos seus anúncios um maior alcance do que qualquer outra plataforma possa dar.

Outra vantagem é que ao anunciar no Google+, só paga quando alguém clica no anúncio. Assim não tem de pagar por cliques ou anúncios que não funcionam. E além do mais existem métodos de segurança que o Google tem para evitar cliques fraudulentos nos seus anúncios.

? Contras dos +Post Ads do Google+

A desvantagem de anunciar no Google+ é a falta de engagement, ou seja, a interação, quando comparada com outras plataformas. Além do mais, as opções de segmentação não chegam aos calcanhares das capacidades de segmentação do Facebook.

O Google tem guias muito estritos para anunciar no Google+. Tudo o que seja concursos, promoções e do género, não são permitidos nas páginas Google+.

ícone linkedInLinkedIn

O linkedin tem 97 milhões de utilizadores ativos, sendo uma rede social orientada para profissionais e negócios B2B (business to business).

? Prós dos LinkedIn Ads e Sponsored Updates

Os utilizadores no LinkedIn usam esta rede social para fins profissionais, o que faz do LinkedIn uma ótima escolha para publicidade B2B.

Os serviços de publicidade do LinkedIn, os Ads e os Sponsored Updates, permitem segmentar os anúncios de acordo com:

  • Local (possível escolher desde continentes a cidades)
  • Nome de empresa (desde que o empregador esteja listado no perfil do membro)
  • Área de atividade da empresa
  • Tamanho da empresa
  • Título do trabalho
  • Função do trabalho
  • Antiguidade do trabalho
  • Competências
  • Escolas onde estudou
  • Cursos
  • Áreas de estudo
  • Grupos (até 100 grupos ativos)
  • Sexo
  • Idade

Há várias formas de segmentação, o que faz com que os anúncios possam ser eficazes para “atacar” o público-alvo B2B, mais do que em qualquer outra rede social.

Como no Twitter, os Sponsored Updates são nativos à plataforma, ou sejam, passam relativamente despercebidos. Os LinkedIn Ads aparecem na barra lateral, enquanto que os Sponsored Updates aparecem diretamente na News Feed do utilizadores, parecendo mais naturais, o que poderá ajudar a criar relações/conexões e gerar leads.

Embora o custo dos anúncios LinkedIn sejam elevados (mais caros do que em qualquer outra rede social), a qualidade de cada clique é maior.

? Contras do LinkedIn Ads e Sponsored Updates

A desvantagem óbvia dos anúncios LinkedIn é que têm um custo elevado. Os anúncios Linkedin custam mais do que os anúncios no Facebook, Twitter e Google+. Além disso, a taxa de cliques (percentagem de pessoas que clicam) é também mais pequena.

Embora os Sponsored Updates funcionem melhor por não parecerem anúncios, os custos podem ser altos ($3 ou $4 por clique), o que pode ser um grande investimento para a maioria das pequenas empresas.

Se não está no mercado B2B, ou se o seu orçamento de marketing para publicidade é pequeno, talvez seja melhor não fazer anúncios LinkedIn.

Já está a anunciar em alguma destas redes sociais?

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment