• Sabe de onde é que vem as pessoas para o seu website?
  • Sabe qual a rede social que lhe traz mais tráfego para o seu site?
  • Sabe qual a faturação gerada por cada rede social?
  • Sabe se o melhor tráfego vem do social ou do email?

Se não sabe de cabeça, não faz mal.

Mas não seria bom saber num “instantinho” qual os sites ou as redes sociais que lhe trazem mais tráfego para o seu site, caso o seu patrão lhe faça estas perguntas?

As boas notícias são que você consegue saber isto tudo gratuitamente, só precisa do Google Analytics e de saber um bocadinho dos códigos UTM, e é isso que eu vou partilhar consigo neste artigo.

ícone de roda dentada animada

“Ui, códigos UTM, que é isso?”

Calma, não há stress. É fácil, e depois de ver este artigo vai olhar para trás e pensar em como já podia estar a aplicar isto no seu website.

Códigos UTM: o que são e porque é importante?

UTM significa “Urchin Tracking Module”, criado pela Urchin Software Corporation, uma empresa adquirida pela Google em 2005, porque o seu software foi o alicerce para o Google Analytics.

Os códigos UTM são exertos de texto que pode adicionar a um link, que diz ao Google Analytics (ou outra ferramenta de analítica que use) informação sobre cada link.

Eis um exemplo dum código UTM:

http://www.exemplo.com/pagina-destino?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=promocao-natal

Se isto parece esquisito, após ler o artigo, vai parecer tudo claro.

Continuando…

Porque é que o UTMs são importantes?

Os códigos UTM permitem acompanhar o desempenho de cada um dos seus links para saber de onde o seu tráfego vem.

Megafone com mapa animado

Por exemplo, se coloca links para o seu site em posts Facebook (para uma página do blog ou de produtos), pode saber exatamente quantas pessoas vieram daquele post.

Ou se tem links para o seu site num email que enviou à sua lista, consegue saber quantas pessoas vieram dessa campanha de email.

Tudo isto é possível com os códigos UTM.

Para isto, deve usar as variáveis UTM no próprio link para acompanhar informação geral, como quanto tráfego está a obter das redes sociais, ou do email, ou doutro sítio qualquer (vídeo YouTube).

É possível ainda saber detalhes mais específicos, como que faturação gerou a partir do seu perfil LinkedIn. Há muitas formas de usar links com códigos UTM.

Isto ainda pode estar um “enevoado” na sua cabeça, mas vai ver como é simples. Invista um bocado de tempo agora para criar uma estratégia para os seus links, e poupará muito tempo depois.

Ícones de cliques e analíticos para medir

Antes de entrarmos em mais detalhes, vamos saber mais sobre aquilo que pode ganhar como resultado de usar os UTM nos seus links (URLs).

3 questões que um link UTM consegue responder

Um link com código UTM consegue responder a estas três questões sobre o seu tráfego:

  • De onde está a vir o tráfego?
  • Como é que ele está a chegar até mim?
  • Porque é que ele está a vir até mim?

Imagine que os códigos UTM contam uma história, a história de onde vem o seu tráfego.

O herói da história é a “source”, os obstáculos que ele tem de ultrapassar é o “medium” e como ele conseguiu fazer isso é a “campaign”.

Há três ou quatro elementos principais, chamados de parâmetros UTMsnippets de texto adicionados a um link:

  • Source
  • Medium
  • Campaign
  • Content (opcional)

Por isso é que um link “etiquetado” com código UTM se parece com isto:

https://designportugal.net/guia-codigos-utm-link/?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_content=-image&utm_campaign=post-guia-codigos-utm

Vê aqueles bocadinhos de código “utm_”? É com isso que atribuímos uma etiqueta de onde o tráfego está a vir.

Parâmetros UTM

Ninguém é obrigado a saber isto de cabeça. Por isso mesmo é se usam geradores de URL, como é o caso do construtor de URLs do Google ou o Effin Amazing UTM Builder, que é uma extensão Chrome.

1424695904_ktipDica do autor: Os códigos UTM, também conhecidos como parâmetros UTM, são snippets de texto adicionados a uma URL para ajudar a medir o sucesso do seu conteúdo na web. Um exemplo disso é https://designportugal.net/guia-codigos-utm-link/?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=artigoblog

Os parâmetros UTM dizem ao Google Analytics como o tráfego de entrada é distribuído. A informação do UTM está nos seguintes sítios do seu Google Analytics:

  1. Aquisição > Todo o tráfego > Origem/Meio
  2. Aquisição > Campanhas > Todas as campanhas

Códigos UTM no Google Analytics (Aquisição)

Está na altura de saber como usar os códigos e parâmetros UTM nos seus links.

Como usar códigos e parâmetros UTM nos seus links

Com os códigos UTM estamos a dar informação ao Google Analytics para que ele nos conte uma história, ou seja, para que o Analytics nos diga como o tráfego está a chegar até nós.

Lembra-se das perguntas?

  • De onde está a vir o tráfego?
  • Como é que ele está a chegar até mim?
  • Porque é que ele está a vir até mim?

Isto não tem de ser complicado. Para escolher os parâmetros UTM basta responder às perguntas anteriores. Vamos ver como é que isto funciona na tabela seguinte.

Exemplos UTM redes sociais

Exemplos UTM links redes sociais

1. Como usar o parâmetro UTM “Source”?

Use o nome da rede social na qual está a partilhar o link (ex.: Facebook) com a etiqueta UTM “source”.

O parâmetro “source” procura responder à questão:

  • De onde está a vir o meu tráfego?

Ao colocar o parâmetro &utm_source= nos seus links, está a etiquetar cada visita que vem desse link, dizendo “esta visita veio deste sítio”. Portanto, o seu parâmetro UTM “Source” mostra de onde é que o tráfego vem.

Seta em alvo animado

Isto pode ficar confuso quando começar a pensar nas várias alternativas.

Por exemplo, se eu fizer um post no Facebook sobre um artigo na net que achei interessante, eu podia responder à pergunta “de onde está a vir o meu tráfego” das seguintes maneiras:

  • Está a vir de mim, quem está a partilhar
  • Está a vir do Facebook, o sítio onde está a ser partilhado
  • Está a vir dos meus seguidores, aqueles que estão a ler

Mas para facilitar as coisas, o próprio Google sugere usar a “source” como o referenciador, ou seja, o sítio que está a enviar o tráfego. Neste caso, uma boa etiqueta UTM seria simplesmente “Facebook”, isto porque:

  • Queremos saber e acompanhar TODO o tráfego do Facebook a partir do mesmo link
  • Se alguém partilhar o meu post, o tráfego já não vem de mim, mas ainda vem da mesma rede social (Facebook)

Nas redes sociais, a abordagem mais simples é usar a plataforma social na qual estamos a partilhar o link como a “source” UTM. Quando partilhamos um link para o Facebook ele estará etiquetado como &utm_source=facebook.

2. Como usar o parâmetro UTM “Medium”

Use a palavra “social” como a sua etiqueta medium para todos os links partilhados nas redes sociais.

O parâmetro medium procura responder à questão:

  • Como é que o meu tráfego está a chegar até mim?

Ao colocar o parâmetro &utm_medium= nos seus links, está a etiquetar cada visita que vem desse link, dizendo “esta visita veio deste meio”.

A etiqueta “medium” pode não parecer tão óbvio quanto a “source”, porque por cada maneira que existe para descrever o sítio de onde é que o tráfego está a vir, provavelmente existem quatro ou cinco maneiras de descrever como é que ele está a chegar até si.

Por isso é que faz sentido definir alguns nomes UTM logo ao princípo. O Google sugere no seu construtor de URLs alguns nomes para “medium”, como “cpc”, “banner”, “email” e “blog” (no nosso caso que etiquetámos como “social”).

Etiqueta "medium" UTM

Assim as coisas tornam-se mais simples.

Uma abordagem simples de etiquetar códigos UTM nas redes sociais é usar sempre “social” como o seu medium. Não é obrigatório usar estas palavras, mas torna as coisas mais fáceis ao analisar as estatísticas.

3. Como usar o parâmetro UTM “Campaign”

O parâmetro “campaign” procura responder à questão:

  • Porque é que o meu tráfego está a chegar até mim?

Ao colocar o parâmetro &utm_campaign= nos seus links, está a etiquetar cada visita que vem desse link, dizendo “esta visita está a vir deste esforço de marketing”.

Há muitas formas de usar esta etiqueta, que permite acompanhar as campanhas que fazemos.

Eis algumas maneiras de usar o parâmetro “campaign”:

  • Use esta etiqueta para promoções ou lançamentos de produtos, como “lancamento-livro” como a sua campaign;
  • Use-a para objetivos de negócios, para saber se por exemplo aquele artigo que publicou no LinkedIn vai gerar leads ou vendas. Neste caso coloque palavras como “contacto” ou “lead” como etiqueta campaign;
  • Use-a para as suas buyer personas. Se o seu artigo for escrito para um tipo de pessoa, marque-o apropriadamente. Por exemplo, “marketer-maria” ou “diretor-it-pedro” como valor da sua “campaign”.

Lembre-se que os seus leitores podem ver as suas etiquetas no endereço dos seus browsers, portanto não coloque termos ou palavras que se possa arrepender.

Como medir os seus UTMs no Google Analytics

Depois de saber etiquetar os seus links com códigos UTMs, pode ir ao Google Analytics para os analisar.

Com o Google Analytics é fácil poder organizar e analisar estes links UTM. Dá para ver a campanha, origem e meio (campaign, source, medium) a partir do seu painel de controlo.

Para isso vá a:

  1. Aquisição > Campanhas > Todas as campanhas
  2. Na “dimensão principal”, escolha Campanha, Origem ou Meio

Aquisição > Campanhas > Todas as Campanhas

Vamos fazer um exemplo prático

Até agora só vimos exemplos de redes sociais, mas vamos ver algumas etiquetas UTM que podíamos usar noutros meios.

Exemplos UTM vários

Exemplos UTM links vários

Vamos imaginar que quero colocar parâmetros UTM à nossa homepage, e que a vou partilhar no Facebook.

Primeiro temos de saber a source do tráfego, que neste caso é o Facebook. Em termos UTM isto seria…

Exemplo prático UTM 1

Sabemos para onde é que o tráfego irá (designportugal.net), e de onde é que eles estão a vir (facebook).

O próximo passo é saber o meio em que se enquadra isto, ou seja, o “medium”, que neste caso é social, porque vem duma rede social e é esse o termo mais apropriado para lhe dar.

Exemplo prático UTM 2

Sabemos que o tráfego (visitante) está a ir para a nossa homepage, designportugal.net, que é a URL de destino; e que ele vem do Facebook (source), que é uma rede social (medium).

Mas porquê? Porque é que o visitante está a vir para a nossa homepage?

Porque eu coloquei um link para a nossa homepage num post Facebook e estou a incentivar as pessoas a visitarem a nossa homepage.

Fica assim a faltar a “campaign” que é a etiqueta UTM que explica o porquê do tráfego/visitante estar a chegar até nós.

Então a “campaign” seria…

Exemplo prático UTM 1

Para re-capitular, o nosso exemplo prático UTM consiste em:

  • URL de destino – para onde está a ir o tráfego (nossa homepage)
  • UTM source – de onde está o tráfego a vir (facebook)
  • UTM medium – como é que o tráfego lá chega (social)
  • UTM campaign – porque é que o tráfego está a ir para lá (linkhomepage)

Exemplo prático UTM final

Sumário dos UTMs

  • A etiqueta UTM “source” é o referenciador (Facebook, Twitter, Email, Google, etc);
  • A etiqueta UTM “medium” é como o tráfego vem até nós (“social” para redes sociais, “email” para newsletter, etc);
  • A etiqueta UTM “campaign” explica porque o tráfego está a vir até nós (lançamento de produto, promoção, persona, etc).

E você como planeia usar os códigos UTM para gerar mais tráfego para o seu website?

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment