Descobrir e implementar a identidade da marca da sua empresa não é tão complicado quanto parece. Eis dicas que o(a) irão ajudar a fazer isto.

O branding não tem de ser um bicho de sete cabeças se sabe quem é e como quer ser percecionado pelos outros. O problema é que muitas vezes você não está focado na sua marca, e em vez disso coloca a sua atenção nos seus produtos ou serviços para o levar apenas a querer obter clientes e facturação.

Isso é aceitável se for a única pequena empresa que venda um produto ou serviço muito específico, mas isso será raro. É por isso que o branding é importante, não apenas para grandes empresas, mas para as pequenas também. Poderá até ser ainda mais importante quanto mais pequeno for o seu negócio.

Muitos deixa-me levar pela palavra “marca” e acreditam que é um termo especial dedicado às grandes entidades corporaticas. Mas cada empresa e indivíduo podem criar as suas próprias marcas. Para comepçar, escreva o nome da sua empresa, e à direita, um sinal de “igual” (=).

PÉ como o futebol. Se bater bem na bola, pode marcar um golo de marca e destacar-se no jogo de preferência do consumidor.

Saiba o que a sua marca representa

A primeira coisa a fazer na criação da sua marca é saber o que é que ela representa. Escreva todas as características à direita do sinal de “igual” que descreve como gostaria de ser percecionado pelos outros.

Quando tiver essa lista pronta, faça uma revisão para refinar alguns pontos necessários. As características que colocou na lista devem descrever a sua marca apropriadamente e diferenciá-la dos seus concorrentes, dando uma perspetiva positiva ao consumidor sobre os seus produtos e serviços.

  1. Perceba o segmento de mercado em que se encontra e como é diferente da concorrência
  2. Conheça o seu público-alvo a fundo
  3. Entenda como o seu produto e serviço vão ao encontro das necessidades do seu público-alvo

As pequenas e médias empresas acreditam que servem uma necessidade do seu público-alvo. O problema é saber se esse mercado é suficiente para criar um negócio à volta dele. Um colega meu está dentro do mundo da decoração de interiores. Passou as últimas férias num resort que, segundo ele, podiam ter os interiores com certo tipo de esculturas e decorações. Elaborou algumas ideias e protótipos, analisando o custo por unidade e o preço de retalho. Devido aos custos de produção e o número de potenciais clientes (só naquele resort), mesmo que todos comprassem, os lucros não seriam suficientes para valer a pena operar um negócio. O meu colega foi realista o suficiente para não perseguir uma ideia de negócios à volta disso, e que para criar uma marca, é preciso um público-alvo.

Para criar uma marca, é preciso um público-alvo.

Para criar uma marca forte, é necessário ter um negócio viável para que se possa criar uma marca que seja sólida e que acompanhe o crescimento do negócio.

Empregados em embaixadores

Os seus empregados devem saber o que a sua marca representa e serem verdadeiros para com ela. Muitas vezes o dono e a administração sabem o que a marca representa, mas as pessoas que realmente interagem com os clientes podem não perceber (ou querer perceber) o que é a marca significa, e a sua intenção. É importante que todos estejam a jogar na mesma equipa e que saibam o que a marca representa.

É normal pensar que estas coisas são senso-comum, mas iria ficar surpreso em quantas empresas não seguem isto. Não sabem quem são nem o que a marca representa, e os empregados nestas empresas podem ficar confusos ou indiferentes.

Os seus empregados têm um relacionamento mais profundo com o consumidor, e por causa disso, podem ter de fazer vários papéis, podendo perceber a marca em profundidade.

  1. Capture a essência da sua marca num formato fácil de perceber
  2. Treine os seus empregados para serem a essência da sua marca e o que ela representa
  3. Tenha sistemas e processos em vigor para ajudar empregados a manterem a marca em top-of-mind

Mantenha os seus empregados envolvidos, informados e motivados. Capture a essência da marca para que eles a compreendam e saibam que mensagem passar na interação com o cliente. Não parta do princípio que elas a percebem. Treine-os com exemplos de situações positivas e negativas.

Depois aplique um sistema ou processo para encoragá-los a apoiar a mensagem da marca e compensá-lo por agirem no melhor interesse mesma. Os sistemas e protocolos que colocar em vigor irão reforçar a importância da representação da marca.

Isto não é tanto aquilo que se diz ao cliente, mas mais o sentimento por trás da marca. Por exemplo, se a sua marca quer passar a mensagem de sofisticação e modernismo, os seus uniformes não deverão ser fatos de macaco antiquados.

Comunique a marca ao público

Viva a marca dentro da sua empresa. Comunicar o posicionamento dela não é só colocar adjetivos na escrita. Envolva também os métodos e as maneiras como comunica a sua marca para o público em geral, e para os seus clientes. Quando você ou os seus empregados sabem como comunicar o que a sua marca representa, mais facilmente as pessoas se identificam com ela.

  1. Elabore a maneira como os seus empregados devem comunicar com o cliente
  2. Implementa uma checklist para que a comunicação empregado<>cliente seja fiél à marca
  3. Tenha atenção à primeira impressão que quer fazer ao comunicar a marca com o público.

Pode criar frases e descrições inteligentes para serem usadas na comunicação com clientes. Terá de saber não só o que a marca representa mas como a saber comunicar de forma a não causar confusão da marca.

Inclua situações que possam acontecer, como um cliente pedir algo, ou ter uma questão, e o empregado ter assim um guia para responder apropriadamente. Isto é importante para que os empregados não tenham de inventar, ou dar respostas que não vão ao encontro da marca. Com um guia de parâmetros, sabem como proceder e responder ao cliente.

Use os clientes para espalhar a sua marca

Quando o seu público-alvo percebe as nuances da sua marca e consegue distinguir como ela é diferente da concorrência, estará numa boa posição para vingar no mercado. Há a possibilidade de que o seu potencial cliente tenha uma interpretação diferente da sua marca, no entanto, se usar as ideias neste artigo, fará com que haja menor probabilidade de isso acontecer.

  1. Todas as comunicações, individuais ou em massa, deverão ser consistentes com o posicionamento da marca.
  2. Uma pessoa ou grupo deverá rever toda a comunicação externa e associações com a marca
  3. Recompense os seus clientes leais com vantagens e pequenas ofertas para mostrar a sua apreciação

Poderá criar um filtro da marca ou questionário para garantir que toda a comunicação e associações são consistentes com a marca. Este filtro tem de ter questões que o ajudam a determinar se a sua marca está ou não a ser representada e comunicada da melhor maneira.

Por exemplo, uma questão pode ser, “A nossa forma de comunicar é consistente com a forma como a marca é percecionada?” Se está a vender cacau gourmet, pode não querer promover-se numa avaliação escrita numa revista sobre a taberna do Sr. Joaquim, porque não é esse o mercado onde quer estar posicionado. Fará mais sentido os seus doces ou produtos de cacau estarem associados a restaurantes com um outro tipo de valor e destaque.

Outro exemplo de pergunta pode ser “Esta associação ajuda ou prejudica a nossa marca?” Usando o mesmo exemplo do cacau, você não quer vender os seus produtos numa pastelaria que tenha más avaliações na indústria ou seja mal encarada pelas pessoas.

O ideal é quando uma pessoa ou um grupo na sua empresa está responsável por determinar a relevância da associação e comunicação da sua marca para o exterior, para manter a interpretação da marca consistente com a mensagem que quer passar.

Se comunicar a mensagem da sua marca para o seu público-alvo de forma apropriada e o seu posicionamento é fácil de perceber, não só os seus empregados serão grandes embaixadores da sua marca, mas também assim serão os seus melhores clientes.

Quando o consumidor se torna fã da sua marca e se identifica com ela, eles também se tornarão embaixadores dela, e espalharão a mensagem da sua marca. O marketing “boca-a-boca” sempre foi uma componente importante para espalhar a marca da empresa e aquilo que ela apresenta ao mercado, e é ainda mais crucial atualmente com as redes sociais.

O seu cliente pode cantar aos céus sobre a sua marcas nas várias redes sociais, fazendo-o não só na forma de Likes, mas também ao partilhar boas experiências e contactos que tenha tido com a sua marca. Da mesma forma que você recompensa os seus empregados, recompense também aqueles clientes e fãs que promovem os seus produtos e serviços. As recomendações que eles fazem aos amigos deles são mais poderosas do que qualquer marketing que possa fazer.

Costuma-se dizer que nós somos iguais à companhia das pessoas com quem andamos. Portanto contratar os empregados errados, lidar com os distribuidores e parceiros errados vai destruir a sua marca.

Perceba tudo sobre a sua marca e saiba se estão todos alinhados com ela. Um grupo coeso e forte irá levar a sua marca mais longe para junto do seu público-alvo. Quando cria essa consistência e integridade e ela é percionada da maneira correcta pelos seus clientes, irá subir ao topo e destacar-se das outras PME’s do mercado.

Logotipo klinpuss guine
Design logótipo
Logótipos para
consultoras e firmas
a partir de €200

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.


Notice: presscore_display_share_buttons_for_post foi chamada incorrectamente. Function is deprecated, use the7_display_post_share_buttons instead. Por favor veja Depuração no WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 7.8.0.) in /home/joaoxgaz/public_html/wp-includes/functions.php on line 5167

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment