Os seus visitantes entram no seu site através de várias maneiras. Quem sabe em que página é que eles irão aterrar? Será essa a primeira impressão que terão da sua marca. Talvez tenham encontrado um artigo seu na internet, ou uma partilha no facebook, tweet ou update LinkedIn.

Taxa de conversão

Temos que saber converter os visitantes em leads e em clientes, independente do nível conhecimento que tenham da nossa marca, há quanto tempo nos conhecem, e em que página eles aterraram. Se tiverem pouco ou nenhum conhecimento sobre nós, convém “amornentá-los” primeiro.

E como fazemos isso? Existe um tipo de página específica que serve o propósito de converter um visitante numa lead. A essa página chama-se uma landing page, ou página de destino, em Inglês.

[bctt tweet =”O propósito duma Landing page é converter um visitante numa lead.”]

Existe uma ciência por trás duma landing page, no que toca à criação, teste e otimização delas.

As landing pages são criadas com o utilizador em mente. O propósito duma página de destino é uma conversão, seja um registo ou uma venda. São páginas que devem ser testadas, como que se nunca estivessem acabadas, porque há sempre qualquer coisinha que se pode testar e medir para saber o que adicionar ou remover da landing page para que aumentemos a sua eficácia.

E se nós não sabemos em que páginas os visitantes irão aterrar no nosso website, mais vale tratar todas as páginas como se fossem landing pages.

[bctt tweet =”…trate todas as páginas como se fossem landing pages”]

Eis algumas regras básicas de páginas de destino.

1. Uma landing page deve ter um único objetivo

Já alguma vez visitou uma página que tem uma série de botões ou links? Coisas como banners, imagens, títulos por todo o lado, comentários, e tudo e mais alguma coisa.

É isso que devemos evitar ao criar uma landing page (ou outra página qualquer) se queremos muitas conversões (registo ou venda). Devemos escolher um único objetivo, uma única coisa, um único conceito ou ideia que queremos que a pessoa faça, ou que queremos que seja o foco da nossa página.

No caso duma página “sobre nós”, o objetivo é claro, é falar sobre quem é a empresa ou o indivíduo. Seja que página for, ela deve ser sucinta e clara. O visitante a qualquer uma das suas páginas deve ser capaz de perceber do que é que a página se trata em algumas palavras.

2. Landing pages devem ser rápidas de perceber

Uma boa landing page deve passar o teste dos três segundos. Se eu mostrar uma página a alguém em três segundos, a pessoa deve ser capaz de perceber a página e ter uma ideia geral dela apenas nesses segundos.

Use imagens, títulos, sub-título, botões de call-to-action, faça bom uso da tipografia e destaque os elementos mais importantes. Parece simples na escrita, mas muitas empresas e marketers não sabem como implementar estas sugestões.

3. Landing pages são páginas de “dar”, não “tirar”

Quando alguém aterra na sua página, existem certos elementos que passam a ideia de que esta página é uma página de “dar” ou que é de “tirar”.

Uma landing page apenas com um formulário (sem incentivo) é um tipo de página de “tirar” porque as pessoas estão a começar a ficar habituadas a websites que lhes pedem logo a informação delas.

No entanto, quando temos uma página de destino com formulário, e com incentivo, ou que tenhamos um formulário escondido que só é revelado após o visitante clicar num botão, é que se considera aquela página como uma página de “dar”.

A sua página está a agregar valor aos visitantes? Está-lhes a ensinar alguma coisa ou a ajudá-los com algum pain point, alguma dor que eles querem resolver, caso eles se inscrevam no seu formulário, fazendo o opt-in? É necessário sermos muito claros com a proposição de valor que temos em cada página e qual o objetivo da mesma.

Pode ser algo como pedir ao utilizador para se subscrever na sua lista de email em troca dum ebook, guia, checklist, ou outro. Ou talvez ofereça um desconto, promoção ou envio gratuito num produto que tenha. Seja claro(a) no valor que mostra às pessoas.

4. Landing pages devem ter call-to-actions claros

Um botão é uma call-to-action (CTA), uma call-to-action é um botão.

Use uma call-to-action (apelo à ação) eficazmente, para que possa gerar muitas leads e vendas. Pode usar estes apelos à ação em sítios como o princípio do artigo, no fim do artigo, no rodapé, na barra lateral, entre outros. Veja os exemplos do nosso próprio website, no final do artigo e na barra lateral, de forma persistente.

O seu botão de call-to-action deve ser relacionado, na medida do possível, com o objetivo da sua página. Isto nem sempre é possível, especialmente com artigos de blog, mas se o conseguir fazer, melhor.

5. Landing pages são fáceis de partilhar

Muitas páginas de destino não têm ícones de partilha social. A razão é porque quando damos muitas escolhas às pessoas, menos hipóteses há de que elas cliquem na call-to-action que queremos que elas cliquem ou na ação que queremos que elas tomem (registo ou venda).

Na dúvida, não há nada como testar.

Aconselho ter páginas (normais ou landing pages) em que colocamos ícones de partilha, e outras em que não os colocamos. Precisamos fazer com que seja fácil para que o visitante tome uma determinada ação que queremos que ele tome. Se isso não for prejudicado por um pedido de partilha, então coloque os ícones sociais que quiser.

6. Landing pages transmitem credibilidade

As pessoas compram de pessoas que gostam, ou de empresas em que acreditam. Elas fazem-no quando têm suficiente confiança e credibilidade sobre a pessoa ou empresa na qual estão interessadas.

Se a sua página tem um aspeto profissional, moderno, e gera prova social, então é provável que converta melhor (mais registos ou vendas).

Para gerar credibilidade, coloque logótipos de clientes e parceiros, certificados de que é seguro comprar no seu website, e emblemas ou certificados de prémios ou associações das quais faz parte, pois tudo isto gera prova social.

Invista num bom website ou numa boa página que pareça profissional, moderna, sofisticada e que esteja adaptada para dispositivos móveis. Isto pode fazer toda a diferença na sua faturação anual. Não queira poupar trocos para não se meter em trabalhos depois.

O que fazer daqui para a frente?

Se quer mais leads e clientes, faça uma (re)avaliação de todas as páginas (ou as mais importantes) do seu website, para as mudar e testar. Se o tempo (ou recursos financeiros) forem escassos, use a regra dos 80/20 e melhore aquelas páginas que obtêm mais tráfego (visitantes).

Para criar landing pages, poderá usar software, serviços ou pedir a um profissional para lhe fazer algo à medida.

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.


Notice: presscore_display_share_buttons_for_post foi chamada incorrectamente. Function is deprecated, use the7_display_post_share_buttons instead. Por favor veja Depuração no WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 7.8.0.) in /home/joaoxgaz/public_html/wp-includes/functions.php on line 4986

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment