Hoje em dia é raro eu ser abordado por alguém que não tem um website, mas ainda assim existem muitas empresas que não têm um site.

Aquilo que encontro muitas vezes é uma empresa que precisa duma alteração completa ao website. Não é que o design seja muito mau (às vezes é), o problema é que cada site, cada empresa, deve evoluir. Parar é morrer. Isso significa que se o seu website tem 2 ou 3 anos, está na altura de lhe prestar alguma atenção.

Mas antes de ir a correr contratar um designer e um programador, tenha atenção se não irá estragar algum valor ganho com o website anterior.

Por vezes os criativos podem ter a melhor das intenções ao criar um novo design, mas se não lhes der informação suficiente eles poderão fazer algo criativo, mas que está estruturalmente (por baixo do capot) errado, o que pode prejudicar a sua configuração atual ou perder tráfego orgânico (visitantes ao seu website) que possa estar a ter.

Checklist website redesign

Use esta checklist no próximo redesign do seu website para tomar em consideração todos os elementos e conteúdos importante do seu website antes do início do projeto.

1. Tem acesso ao Google Analytics? Se sim, sabe analisar os dados dele? Se não, instale o quanto antes a analítica do Google no seu website. Quem não sabe medir, não sabe investir. Veja como otimizar Google Analytics para saber mais.

2. Tem acesso ao Google Search Console? (anteriormente chamado WebMaster Tools). Muitas empresas não têm o site ligado a esta ferramenta, talvez por não se preocuparem, ou por ser difícil, mas a Google Search Console mostra informação preciosa sobre o seu website.

3. O nome do seu domínio é adequado? E está dentro do prazo de renovação? Pondere se o seu domínio atual é adequado para o seu negócio e se ele não está para expirar em breve. Faça um WhoIS ao seu domínio para saber isto.

4. As suas páginas estão em ordem? Faça um inventário das suas páginas e de erros, tais como links “quebrados”, tais como aqueles encontrados (404), ou erros de rastreamento que o seu website possa ter. Use o Screaming Frog para gerar uma spreadsheet (folha de cálculo) com todas as suas páginas e erros potenciais.

5. Avaliou o conteúdo das suas folhas de cálculo? Ou seja, que páginas vai manter, quais vai editar, e quais vai apagar ou reformular completamente? Para este ponto tem de saber o posicionamento do seu negócio no mercado no que toca à estratégia de marketing e ao seu calendário editorial.

6. Adicionou métricos do Google Analytics numa folha de cálculo? Estatísticas tais como visualizações de página, taxa de rejeição e duração média da sessão dir-lhe-ão que conteúdo manter. Ao colocar isto numa folha de cálculo, vai saber que páginas estão a receber mais tráfego e links.

7. Fez uma auditoria das suas landing pages e formulários? Se angaria contactos de email para uma newsletter, ebook, ou para um funil de leads/vendas, terá de ter bem em conta estas páginas para o próximo redesign. É fácil esquecer-se das suas landing pages (páginas de destino) porque elas estão normalmente “enterradas” no website ou escondidas da navegação principal.

8. Fez uma auditoria SEO das suas páginas importantes? Use o Screaming Frog para obter informação sobre páginas que estão bem posicionadas para certos termos ou palavras-chave importantes para si. Se estas keywords forem relevantes para si, pense em como manter estas páginas intactas.

9. Fez uma auditoria das suas ligações permanentes? As ligações permanentes (permalink structure) apresentam maior relevância ao utilizador do que URLs com números e datas. Um artigo do género “www.website.com/artigos/checklist-website-redesign” é melhor do que “www.website.com/artigos/page=123”. Há ainda a vantagem de que pode colocar palavras-chave na url se fizer uso de ligações permanentes.

10. Analisou os seus backlinks do site? Os links que apontam para o seu site (backlinks) podem ser analisados ao usar o ahrefs, para saber quaisquer sites que possam estar a “linkar” para o seu site. Analise esta informação para saber que páginas manter como estão ou redirecioná-las permanentemente (301) para evitar links inacessíveis (404).

11. É necessário redirecionamentos permanentes (301)? Se vai alterar a estrutura das suas URLs (links), então vai querer dizer aos motores de busca que os seus artigos ainda existem, apenas num novo endereço. Redirecionamentos 301 são feitos através do ficheiro .htaccess do seu website ou através de módulos ou plugins como o Yoast SEO.

12. Precisa de integrações especiais? É necessário integração com alguma CRM, carrinho de compras, plataformas de email marketing, outras? Tome nota das integrações necessárias para partilhar esta informação com o seu designer e programador.

Isto pode parecer que dá muito trabalho, e provavelmente vai dar, mas vai livrá-lo(a) de potenciais dores de cabeça mais tarde. Se começar a fazer o redesign do seu website, e a agência que lhe estiver a criar o seu site não lhe pedir por esta informação, então fique preocupado(a).

Gostou do artigo?

Receba conteúdo de marketing e ferramentas para aumentar as vendas e crescer a sua empresa.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment